CAMPANHA 2020

Sou nascida e criada na Brasilândia, uma das regiões periféricas mais conhecidas e populosas da cidade de São Paulo, hoje resido bem pertinho da Brasilândia, na Freguesia do Ó. Comecei a trabalhar aos 14 anos e hoje, aos 40, atuo como Doula.

Após o fiasco das eleições de 2018, com a chegada do bolsonarismo ao poder, tive a certeza de que a mudança que queremos precisa ser feira por nós. Nós que estamos nas periferias dessa cidade, que sobrevivemos a negligência do estado, somos nós que precisamos tomar a frente e avançar com o que é necessário. Por isso decidi me candidatar à vereança da Cidade de São Paulo.

Este projeto político não diz respeito a mim, mas a nós. Individualmente ele não responderá às transformações que precisam ser feitas, pois isso não é possível se não o fizermos de maneira coletiva e verdadeira. 

Você é essencial nessa construção, mesmo que durante toda uma vida você tenha ouvido, visto e sentido o contrário. Não acredite. 

Também nos dizem que um projeto político genuinamente popular não é possível, que apenas o caminho da cooptação, do capital e da individualidade podem reverberar nos corações e mentes que vão eleger os representantes que ocuparão a Câmara dos vereadores da cidade de São Paulo. E nós não acreditamos, afinal você está aqui. Não solte nossa mão. Traga outras para segurarmos firmes e avançarmos. 

Penso que é extremamente rico e importante quando uma pessoa como eu, que não tem trajetória política institucional, que não tem essa fama fugaz que as mídias sociais proporcionam, se propõe a estabelecer esse debate.”

Parece que quando você entra na política institucional, você está entrando num lugar de ser corrompido, porque a gente tem uma política devassa.

Eu considero muito importante, urgente e essencial trazer o povo para participar da discussão das soluções.”

"A gente só está mostrando que essa grande base popular, que sustenta essa política nefasta da qual a gente quer se afastar, também está querendo estar do lado de lá. Isso pra mim é fundamental. Eu não acho que é uma utopia, porque eu acredito mesmo, profundamente, que qualquer pessoa, como eu, pode nos ouvir e pensar "também posso estar nesse lugar, também posso fazer isso". Isso não deve passar por uma dinâmica de campanhas cheias de dinheiro, que vão arregimentar celebridades e tudo o mais. Isso surge do povo, das periferias, de gente que, como eu, busca ampliar a participação na política institucional"

EMANCIPAÇÃO POPULAR

É sobre dar à população condições de compreensão plena sobre as estruturas sociais que regem sua vida, tornando-o, assim, protagonista de sua história e
ciente do valor de seus saberes na construção de uma sociedade mais justa.

ANTIRRACISMO

É ter a compreensão do caráter estrutural, e não apenas moral, do racismo e, com isso, de que se é parte do problema para além de suas convicções já adquiridas sobre não ser racista, orientando suas ações de maneira a combater as práticas fundamentadas na lógica racista e seus efeitos.”

FEMINISMO INTERSECCIONAL

É considerar que além das opressões de gênero sofridas pelas mulheres, existem também cruzamentos entre classe e raça que potencializam essas opressões. É uma ferramenta que nos permite combater as desigualdades, compreendendo como a intersecção entre raça, classe e gênero define as trajetórias das mulheres e da sociedade em que estamos inseridas.”

Materiais para download

Projeto Político

Projeto Político

PP colaborativo em construção para responder as demandas das periferias de São Paulo.

Material Online

Chamada para Construção de PP

Traga suas demandas e venha construir conosco!

Chamada Pública Para Voluntariado

Vem com a gente: se inscreva pra ser voluntária(o)!

Contribua com a Vaquinha

Essa ajuda é essencial para que consigamos ter sucesso.

Material Impresso

Material Impresso

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit...